Bob Dylan, hoje prêmio Nobel de Literatura, de casaco e toca em pleno calor de 30 graus em Copacabana para não ser reconhecido. A explosão de fúria matinal deflagrada pela banda Suicidal Tendencies na Avenida São João. O show funeral de Michael Jackson no Staples Center, em Los Angeles. Uma cachaça com Manu Chao num bar do Itaim Bibi. O último show bom de Amy Winehouse, no Rock in Rio Madri.

madrid_036Testemunhas do pop há muitas, mas poucas tão privilegiadas quanto o jornalista cultural Jotabê Medeiros, que cobre há 25 anos a área de música (20 desses anos na redação do jornal O Estado de S.Paulo). Enviado para coberturas em festivais como o Roskilde, na Dinamarca; o V Festival, na Inglaterra; o Lollapalooza, em Chicago; e o Summerstage Festival, em Nova York, Medeiros presenciou momentos sublimes e constrangedores de pop stars; viu o nascimento e o desaparecimento de estrelas; conheceu a arrogância e a insegurança de superstars.

O Bisbilhoteiro das Galáxias, sua estreia em livro, é um garimpo de seus melhores momentos. A narrativa busca reexaminar a matéria-prima de seu trabalho jornalístico de um ângulo menos pragmático e mais pessoal, humano, confessional. Apoiado em suas fotos, que flagram instantes de intimidade, Jotabê Medeiros oferece aqui uma rica crônica dos bastidores desse universo, uma viagem pelos atalhos e pelos pequenos segredos desse território de glamour.

Muito do que conhecemos como mundo pop é uma construção erguida sobre alicerces de mitomania e marketing. Nos vãos desse arranha-céu, no entanto, há sutilezas, artesanatos, um teatro social e político e uma trama a ser desvendada. Foi de olho nessa perspectiva que o jornalista cultural Jotabê Medeiros produziu os 50 textos e fotografias desse volume, que por sua vez abordam 50 encontros, circunstâncias muito diversas do universo pop – algumas épicas, algumas prosaicas, algumas engraçadas, outras trágicas.

Sobre o autor
Jotabê Medeiros, paraibano de Campina Grande, entrevistou dois Stones, dois Beatles, dois Zeppelins, dois Velvet Underground, um Neil Young, um Santana e mais um bocado de gente. Tem textos publicados em várias coletâneas. Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina em 1986, iniciou a carreira como crítico de música na revista SomTrês e trabalhou ainda na Folha de S.Paulo, Veja São Paulo, TV CNT Gazeta e O Estado de S.Paulo.